Quarta-feira, 30 de Julho de 2014

Puro sentimento

 


Misterioso sentimento



Ai se não existissem sentimentos
Esses que não deixam caminhar
decidir, afirmar
Esses que fazem sofrer
por vezes sorrir, outras esmorecer
nada sentiria
nada seria
tudo deixava acontecer sem penar
sorriso estampado no rosto,
dor que atravessa todos os membros
não se nota, não se ouve, mas estão presentes
Os sentimentos se perdem nas palavras
tantas vezes contraditórias…
sentimentos mudam,
pelos atos das pessoas por quem  se sente
arrebentador, é essa sensação de dor
de desconforto, paralisando todos membros
sentimentos estão desnudados de enfeitos
manifestam-se, mais pelos atos
 do que propriamente por palavras
dontar ou dominar sentimentos é quase impossível
porque são a essência viva da alma
O sentimento mais male amado é o próprio AMOR
quer-se deixar de sentir, para cavalgar no mundo cruel
esse feito de mentiras onduladas
como cavalos em plenas ruas
como se derivasse nua em pleno mar
cantando com voz de sereia esse verbo amar
sentimentos íntimos e profundos
ninguém os pode controlar
a verdadeira razão de os sentir
é na hora da despedida, saber que algo vai partir
deixando nas margens da vida um sofredor a sorrir
penando cada caminhada
desconfiando da verdade
optando pela carcaça vazia
escolhendo não sentir
do que sorrir e ver novamente partir
Ai se não existissem sentimentos…



Alzira Macedo
música: Cock Robin - The promise you made
publicado por Alzira Macedo às 08:55
link do post | comentar | favorito
Sábado, 26 de Julho de 2014

Uma manha de lucidez

 

 

 

 

 

 

 

 

Nunca deixes Quem amas, Por quem desejas ...

Quem te Deseja te deixará, Por quem ama




 

(Quantas vezes não queremos aceitar frases construídas, frases ditas, dizemos nós ser ditados antigos...
De pessoas antiguadas, sem grande abertura para os tempos modernos... A realidade é que tentamos ultrapassar todas as barreiras possiveis, tentamos ser pioneiros no nosso proprio viver...
Somente nos esquece-mos de que há algo que nos segue e que não podemos mudar “ a natureza das coisas “
E se há um ditado bem verdadeiro então é este acima, pensa bem na questão e deixa tua opinião )





Alzira Macedo





sinto-me:
música: Di Paullo e Paulino - Acordei na Madrugada
publicado por Alzira Macedo às 07:06
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 14 de Outubro de 2013

Um Devaneio em alto mar...

Poesia em video é uma aposta recente e que irei partilhar com todos vós
aqui vai o primeiro de alguns já feitos...
Aguardo vossos comentarios...

PS: Não se esqueçam de desligar o player do lado esquerdo do blog
para melhor usufruirem da musica do video em questão
 
 


Mera ilusão ou não…

 

Sou a que nasceu para a vida
para remar contra todas as marés
Repor todo o equilíbrio no mundo
este de nascer,
viver e repartir, sem deixar rastos
Sou companheira do sonho,
amante da ilusão
madrasta das estrelas
gémea da lua
boémia no meu pensar
sou o arco-íris do sorriso
sou sombra do sol
fogo na chuva
sou contraditória da história
sou o que mostro e o que não vês
sou as ondas do mar, que vem beijar teus pés
sou vento passageiro
sou lágrima contida
sou gemido proferido no momento de amar
sou semente num campo de lírios
sou rouxinol em meu cantar
sou a névoa da madrugada e filha da aurora
sou devaneio vestida de mulher
despida de todo preconceito
quando escrevo não sou eu
até sou
simplesmente eu
a que nasceu para a vida e não, quem conheces
sou sonhada por alguém
e encontrada por ninguém




Poema de Alzira Macedo
Realisação do video de Samuel Henriques

publicado por Alzira Macedo às 08:29
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
Terça-feira, 8 de Outubro de 2013

Senti, escrevi

 

 



O sentir do momento


Águas calmas vão-se movendo

Fazem as ideias dançar

Um ritmo de ternura

que faz o ambiente modificar
mesmo em alto mar...
Precisas de paz de espirito
vem te recolher
desfrutar do infinito e do misterio
escondido,
aos olhos do mundo da invasão
passeia na tentação
dessa libertação
o mar e eu
eu e o mar
não existe diferença
apenas no teu observar...




                                                                                                                                                                      Alzira Macedo

publicado por Alzira Macedo às 10:03
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Domingo, 6 de Outubro de 2013

A poveira

 
 
 
Image and video hosting by TinyPic

A poveira

Não sou filha de marinheiro
mas, sinto a marezia em mim...
Sou filha do vento
levando esta revolta
dos mal amados, dos incompreendidos,
de onda em onda, de maré em maré,
deixo-me navegar em alto mar;
Observando-te com olhar matreiro
como se de ti quizesse fugir...
Como se contigo,
senti-se a vontade de brincar
em teu corpo, sinto-me moldar
e por fim em ti me deitar
 lindo mar
serei...
 Sereia,  sem canto, sem magia
despertando em tuas aguas
o sentir da minha paixão
deixar ouvir meu coração,
As nuvens de ilusão
envolvem-me
no meu gemer, tento soltar-me
desta solidão
que a lua, ilumina com seu olhar serena
de quem tudo sabe, tudo entende
as estrelas cintilantes fazem este quadro magico;
O ceu, o cobertor aconchegador
desta linda historia de amor,
entre ti mar e eu
vem ao meu encontro
que o tempo passa por nós
minha saudade é a tua voz
que me faz comever
e para ti escrever...




Alzira Macedo
(apoveira)


publicado por Alzira Macedo às 19:34
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
Terça-feira, 1 de Outubro de 2013

Fragil, mas voltei...

 

 




Apenas dou asas ao pensamento...
Á imaginação...
Sonho , idealizo...
Amo a minha liberdade fragil e volatil
quero ser eu,  dona de mim
é querer demais, nesta vida tão curta...
coração e razão descordam
tanta vez sem fim...
persigo
um caminhar fragil
irei conseguir...
tantos obstaculos terei de enfrentar
coragem...
dias virão em que irei alcansar
é meta a conquistar...



Alzira Macedo
Geloux 01/10/2013




publicado por Alzira Macedo às 01:40
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 8 de Outubro de 2012

De Passagem

 


Distraído, passei pelo teu blog
E fixei-me na tua escrita 

sonhos e versos delicados.
 
Quando voltei a ler
Senti a tormenta de uma emoção.
 
Não voltei a passar. 

Porque fiquei colado
À emoção de um eterno sorriso.

DreeD Rui

publicado por Alzira Macedo às 08:46
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 22 de Setembro de 2012

Para ti Amiga

 

Doce e ausente Amiga te envio o mar. O

mar rumoroso que vestes sempre, um mar

de sal e conchas que te talham os pés,

um mar de areias, temporal, sonhos num

por do sol.
Te envio o mar que trazes nas mãos e

te envio pérolas em forma de lágrimas

de alívio, vento no rosto, maresia e

iodo, coral. Te envio o mar que trazes

nos olhos, cansados, cheios de

incertezas, ondas e espuma, um teu mar

que está sempre perto de ti, ainda que

estejas longe dele.
Te envio o mar que trazes nesta tua

incerteza, sal, sol, palavras fugidias

que não escutamos com a rebentação.
Te envio o mar que tambem eu sempre

trago em mim.

publicado por Alzira Macedo às 09:27
link do post | comentar | favorito
Domingo, 9 de Setembro de 2012

Gratidão





Chama arde


sinto gratidão pelo que deixei e nunca me deixas-te
pela minha revolta de vida
onde quis um novo começar
e encontro-me no ponto de partida
Caso para se dizer que "Bom filho a sua casa torna"
Aqui estou eu com um singelo Obrigada
por nunca teres deixado minha morada
Eu que parti sem nada dizer
E volto sem avizar sequer
Sou como o vento
que nasce e morre sem dar a entender
Sou como o passaro
Que emigra nos recantos da alma
E volta quando sente que minha dor reclama
A casa que tanto carinho me dão
aqui estou eu de novo
Não prometendo ter de partir
Depende do meu sentir
da minha forma de estar
do vento que me leva
Ou até mesmo das ondas do meu verbo amar
ele que sem piedade
faz com que minha chama arda ou apague



                                                                                                                                                               Alzira Macedo


publicado por Alzira Macedo às 19:06
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 9 de Abril de 2012

Te Lembro Amiga

 

Nascem e morrem as luas das nossas vidas

segui sempre o teu rastro, tuas marcas,

pegadas, largadas, o que foste deixando pelo

caminho. Vi tuas dores, teus sorrisos, teus

sonhos de menina do mar, vi do que te

desfazias, aquilo que não te importava, o

lixo dos teus dias, testemunhei os teus

sonhos, o que te fazia feliz, o que de mais

puro havia entre tuas coisas, teus sorrisos,

mistos de felicidade e descrença ante tua

improvável atenção, tuas poesias que se

faziam chamas, pétalas de flor e um bálsamo

de ti mesma, teu corpo de desejo e asas,

cheiro de mar, brandura de sonho, aridez de

tempestades. Recolhi tudo e hoje te sorrio

por seres a mulher poeta e amiga que

preciso...

 

 Teu Amigo Avelino Fonte

publicado por Alzira Macedo às 10:00
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.mais sobre mim

.Ouve e relaxa

<

.posts recentes

. Puro sentimento

. Uma manha de lucidez

. Um Devaneio em alto mar.....

. Senti, escrevi

. A poveira

. Fragil, mas voltei...

. De Passagem

. Para ti Amiga

. Gratidão

. Te Lembro Amiga

.arquivos

. Julho 2014

. Outubro 2013

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Abril 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011