Quarta-feira, 30 de Julho de 2014

Puro sentimento

 


Misterioso sentimento



Ai se não existissem sentimentos
Esses que não deixam caminhar
decidir, afirmar
Esses que fazem sofrer
por vezes sorrir, outras esmorecer
nada sentiria
nada seria
tudo deixava acontecer sem penar
sorriso estampado no rosto,
dor que atravessa todos os membros
não se nota, não se ouve, mas estão presentes
Os sentimentos se perdem nas palavras
tantas vezes contraditórias…
sentimentos mudam,
pelos atos das pessoas por quem  se sente
arrebentador, é essa sensação de dor
de desconforto, paralisando todos membros
sentimentos estão desnudados de enfeitos
manifestam-se, mais pelos atos
 do que propriamente por palavras
dontar ou dominar sentimentos é quase impossível
porque são a essência viva da alma
O sentimento mais male amado é o próprio AMOR
quer-se deixar de sentir, para cavalgar no mundo cruel
esse feito de mentiras onduladas
como cavalos em plenas ruas
como se derivasse nua em pleno mar
cantando com voz de sereia esse verbo amar
sentimentos íntimos e profundos
ninguém os pode controlar
a verdadeira razão de os sentir
é na hora da despedida, saber que algo vai partir
deixando nas margens da vida um sofredor a sorrir
penando cada caminhada
desconfiando da verdade
optando pela carcaça vazia
escolhendo não sentir
do que sorrir e ver novamente partir
Ai se não existissem sentimentos…



Alzira Macedo
música: Cock Robin - The promise you made
publicado por Alzira Macedo às 08:55
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 8 de Outubro de 2013

Senti, escrevi

 

 



O sentir do momento


Águas calmas vão-se movendo

Fazem as ideias dançar

Um ritmo de ternura

que faz o ambiente modificar
mesmo em alto mar...
Precisas de paz de espirito
vem te recolher
desfrutar do infinito e do misterio
escondido,
aos olhos do mundo da invasão
passeia na tentação
dessa libertação
o mar e eu
eu e o mar
não existe diferença
apenas no teu observar...




                                                                                                                                                                      Alzira Macedo

publicado por Alzira Macedo às 10:03
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Domingo, 6 de Outubro de 2013

A poveira

 
 
 
Image and video hosting by TinyPic

A poveira

Não sou filha de marinheiro
mas, sinto a marezia em mim...
Sou filha do vento
levando esta revolta
dos mal amados, dos incompreendidos,
de onda em onda, de maré em maré,
deixo-me navegar em alto mar;
Observando-te com olhar matreiro
como se de ti quizesse fugir...
Como se contigo,
senti-se a vontade de brincar
em teu corpo, sinto-me moldar
e por fim em ti me deitar
 lindo mar
serei...
 Sereia,  sem canto, sem magia
despertando em tuas aguas
o sentir da minha paixão
deixar ouvir meu coração,
As nuvens de ilusão
envolvem-me
no meu gemer, tento soltar-me
desta solidão
que a lua, ilumina com seu olhar serena
de quem tudo sabe, tudo entende
as estrelas cintilantes fazem este quadro magico;
O ceu, o cobertor aconchegador
desta linda historia de amor,
entre ti mar e eu
vem ao meu encontro
que o tempo passa por nós
minha saudade é a tua voz
que me faz comever
e para ti escrever...




Alzira Macedo
(apoveira)


publicado por Alzira Macedo às 19:34
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
Sábado, 21 de Janeiro de 2012

Sinto tua presença...

 

 

 

 


Teu olhar persegue-me

Adoro tudo o que é teu…
Pela simples forma de me dares tudo quanto almejo sem nada dizer
sem nada pedir
Sem apenas uma única palavra proferir….
Conheces todos os meus recantos
 de alma, de espirito, de desejo…
Porque será afinal?
Serei esse livro aberto de que tanto falo
Só pode ser…
Ou então és mágico nesse teu dom de viver…
Esse teu silêncio matador
que me envolve nas noites mais obscuras,
 Á procura da âncora do teu coração
onde me possa encostar e sem soluçar prenunciar
O quanto a saudade de ti é penosa
tantas horas,  que a noite tem, sem de ti nada saber
sem te ver
Sem eu saber sequer onde pertencer
Divaguei-o, percorro mares, luas
Conto as estrelas infinitas
sem sequer te encontrar
perdida estou nesse teu lindo olhar
esse que me persegue
esse que me faxina e me faz de ti gostar
será gostar, adorar ou mesmo amar
quem souber venha-me sussurrar
podes mesmo ser tu meu querido mar
tu que tudo sabes
tu que tudo guardas nas águas mais profundas
vem ao meu encontro
Eu que tanto te amo
E em ti, minha confiança deposito
vem …
Traz-me de novo esse maravilhoso olhar 

 

 

 

 

 

 

Alzira Macedo

 

sinto-me:
música: José Cid "Magia"
publicado por Alzira Macedo às 12:05
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

.mais sobre mim

.posts recentes

. Puro sentimento

. Senti, escrevi

. A poveira

. Sinto tua presença...

.arquivos

. Julho 2014

. Outubro 2013

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Abril 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011